Um projeto de identidade visual envolve pesquisa, planejamento, criação, além de estudos sobre como a marca vai ser usada, produção de materiais, testes.

A etapa da criação da marca é a parte mais legal, mas também a mais desafiadora de um projeto de identidade visual.

A marca ou assinatura visual é a reunião do logotipo com o símbolo gráfico (se existir).

Entretanto, alguns autores chamam de assinatura visual e não de marca, porque consideram que a palavra “Marca” tem um significado mais amplo, que envolve a percepção das pessoas sobre a instituição. Por exemplo, o valor da marca da Coca cola não é só o desenho do logotipo, mas todo o estilo que faz a marca ser lembrada como é.

O método para o desenvolvimento de um projeto de identidade visual ensinado nas escolas de design e adotado pela maioria dos profissionais, geralmente começa com conversas com o cliente e pesquisas (de mercado, dos usuários, dos concorrentes, etc.). Depois disso, se chega numa síntese, nas palavras-chave, ou seja, nos conceitos que transmitem a personalidade da organização. O objetivo é transmitir esses conceitos em imagens. O que nem sempre é tão simples como pode parecer.

esboços

Tendo os conceitos, aprovados pelo cliente que contratou o trabalho, é hora de fazer esboços, muitos esboços. Várias ideias são rabiscadas, diferentes tipos de letras são experimentadas, fazem-se estudos de cores, desenhos, desenhos e mais desenhos, no papel e no computador.

 

Veja o que diz Alina Wheeler, no livro “Design de identidade de marca” com tradução de Tom Min Alves:

basterisco-preto

O designer começa o processo examinando centenas de variações tipográficas. Partindo do básico (por exemplo, se o nome deve ser composto só com maiúsculas ou com maiúsculas e caixa-baixa), o designer considera os caracteres tipográficos clássicos e modernos, variações em romano e itálico, bem como diversos pesos e combinações.

basterisco-preto

Alina Wheeler

As soluções gráficas podem surgir de situações imprevisíveis, de combinações estranhas, relações entre ideias bobas, de um encontro inusitado, de formas rabiscadas. Alguns autores consideram que o processo criativo é sempre uma surpresa, não se consegue explicar como ocorre a ideia. O designer trabalha, trabalha, rabisca, rabisca, mas o insight surge de repente, e muitas vezes, de onde menos se espera.

A etapa da criação precisa ser solta, deixar fluir imagens e pensamentos livremente, fazendo associações absurdas e combinações esquisitas. É divertido.

Contudo, é claro que nem sempre os designers chegam nessa tão desejada ideia surpreendente e ótima, por isso utilizam métodos de trabalho que contribuem para que a solução gráfica seja adequada, mesmo quando não for tão original.

Então, depois de encontrar algumas alternativas interessantes para a marca, é necessário voltar aos conceitos e verificar se a marca realmente transmite todas as palavras definidas, e se cada detalhe contribui para isso. Se não, é preciso recomeçar, e desenhar mais.

Depois de escolher a alternativa mais adequada são feitos os ajustes. E o cliente precisa aprovar.

Veja alguns projetos desenvolvidos no curso de Tecnologias em Produção Multimídia. Será que os símbolos e suas aplicações transmitem os conceitos planejados? Faça o teste. Observe as cores, se são mais elegantes e sofisticadas, ou mais vibrantes e alegres, se a tipografia dá uma ideia de tradição ou é mais atual, se as formas transmitem movimento ou são estáticas, se mostram equilíbrio ou ousadia, observe bem e marque os conceitos que você imagina que foram a base de cada projeto.

As respostas você encontra no final da matéria.

SUPERBARBEARIA

Criação : Darley Goulart Nunes, Lucas Delpino, Homero Luz, Thais dos Santos

barbearia7
barbearia6
barbearia3
barbearia2
barbearia4

1 - A marca da SUPERBARBEARIA transmite:

 

A (   ) Simplicidade, economia, praticidade, rapidez

B (    ) Luxo, elegância, espaço de interação, tecnologia

C (    ) Tradição, experiência, confiança, seriedade

D (    ) Objetividade, organização, praticidade, contemporaneidade

E (    ) Diversão, alegria, simplicidade, infantil

LUIZA HELENA: Personal organizer

Criação : Darley Goulart Nunes, Lucas Delpino, Homero Luz, Thais dos Santos

organizer3

2 - A marca da LUIZA HELENA: personal organizer transmite:

 

A (     ) Minimalista, simplicidade, serviço barato, criatividade

B (     ) Luxo, variedade, rapidez, tecnologia

C (     ) Tradição, experiência, economia, confiança

D (     ) Organização, confiança, bem estar, sofisticação

E (     ) Diversão, alegria, simplicidade, organização

SHARKSOCK: produtos pintados à mão

Criação: Giulia Cima, Letícia Demetrio, Rafaela Heinzen Lazzaris

shock

3 - A marca da SHARKSOCK transmite:

 

A (     ) Tradição, elegância, moda, feminino

B (     ) Luxo, variedade, tecnologia, preço elevado

C (     ) Estilo mórbido, charmoso, jovem, artístico

D (     ) Sofisticação, modernidade, fashion, elegância

E (     ) Diversão, infantil, simplicidade, novidade

NVB: Produtora músical

Criação: João Pedro Padilha, Lucas Rensi Keri

nvb2
nbv5

4 - A marca da NVB transmite:

 

A (    ) Tradição, clássico, sofisticado, estilo anos 80

B (    ) Expressão, hip-hop, empatia, urbano

C (    ) Artístico, pessoal, sofisticado, eletrônico

D (    ) Divertido, alegre, dançante, inovador

E (    ) Popular, comum, simples, música brasileira

EALIS: Equipe De Acessibilidade em Língua de Sinais

Criação: Lais Rovani Teixeira e Heitor de Paula

ealis1
ealis4
ealis5

5 - A marca da Ealis transmite:

 

A (   ) Tradição, clássico, fácil, acessível

B (    ) Expressão, qualidade, empatia, rapidez

C (    ) Acessibilidade, profissionalismo, empreendedorismo, jovialidade

D (    ) Divertido, alegre, infantil, público surdo

E (    ) Popular, comum, simples, econômico

InTELECOM: Soluções para telecomunicações empresariais

Criação: Marlon dos Santos e Beatriz Rebello Cardial

intelecom

6 - A marca da inTelecom transmite:

 

A (    ) Divertido, tecnológico, jovial

B (    ) Sofisticado, tradicional, experiência e profissionalismo

C (    ) Atendimento de excelência, confiança, pontualidade

D (    ) Criatividade, economia, rapidez

E (    ) Artístico, variedade, sustentabilidade

COCORICÓ: Fast food

Criação: Jean Marciel e Lucival Ferreira

cocorico

7 - A marca COCORICÓ transmite:

 

A (    ) Caipira, econômico, alegre, simplicidade, bem servido

B (    ) Sofisticado, caro, elegante, lugar bonito

C (    ) Comida caseira, comum, prático, rústico, lugar aconchegante

D (    ) Comida árabe, gostoso, especial, pequenas porções

E (    ) Saudável, leve, variado, natural

NATALYA DEFREYN NASCIMENTO: fotógrafa

Criação: Ester Lima, Marcos Nascimento, Mariana de Aguilar, Matheus Frutos, Natálya Defreyn e Vitor Heitor Sousa

ndn

8 - A marca NATALYA DEFREYN NASCIMENTO transmite:

 

A (    ) Alegria, festa, diversidade, animação, eventos

B (    ) Sofisticação, elegância, beleza, feminilidade

C (    ) Rústico, natureza, radical, aventura

D (    ) Esportividade, radical, movimento, natureza, diversidade

E (    ) Carisma, simplicidade, proximidade, criatividade

NO PONTO: Hot dog

Criação: Ester Lima, Marcos Nascimento, Mariana de Aguilar, Matheus Frutos, Natálya Defreyn e Vitor Heitor Sousa

no_ponto

9 - A marca No Ponto transmite:

 

A (    ) Rapidez, acolhedor, qualidade

B (    ) Sofisticado, caro, elegante

C (    ) Comida caseira, comum, rústico

D (    ) Variedade, ambiente aconchegante, vegetariano

E (    ) Saudável, leve, variado, natural

RECANTINHO:  troca troca de roupas e objetos

Criação: Ana Karolina Nivinsk, Gabriel Teixeira, Matheus Soter e Vitor Severo

re-cantinho

10 - A marca ReCantinho transmite:

 

A (    ) Fazer o bem, sustentabilidade, religião

B (    ) IFSC, moda, tecnologia

C (   ) Juventude, fashion, inovador, sustentabilidade

D (    ) Variedade, ambiente aconchegante, chique, caro

E (    ) Diversidade, moda, reciclagem

Cada elemento deve contribuir para a ideia. Porém, nem sempre é possível perceber num primeiro olhar esses detalhes. Precisamos desenvolver o olhar, estudar os elementos do design e como contribuem para a significação, estudar técnicas de composição e princípios de design, observar muito e criar o hábito de analisar o que vemos.

Muitas vezes o cliente, ao ver o projeto, não é capaz de identificar se as imagens correspondem aos conceitos. Apenas expressa sua opinião, dizendo se gostou ou se tinha expectativas diferentes. É sempre bom relembrar os conceitos, antes de apresentar o projeto, e conduzir a análise, observando como os elementos do design contribuem para mostrar a personalidade da organização para seu público.

O projeto de identidade visual inclui, também, outras etapas como desenvolvimento de aplicações da marca, elaboração de manual de identidade visual, animações, implementação e testes.

Respostas

1(D); 2(D); 3(C); 4(B); 5(C); 6(C); 7(A); 8(E); 9(A); 10(C).

rodape