REDES SOCIAIS X MÍDIAS DIGITAIS

O ser humano é um ser social por natureza. Interagir em redes sociais, construir relações, estabelecer grupos e construir comunidades é um sentido histórico das nossas sociedades. Estabelecemos uma rede social, por exemplo, da turma da faculdade, do centro acadêmico, o grupo de trabalho da ReVISTA. O ato de comunicar e produzir conteúdo é – além de muitas outras formas – o ato de tornar comum uma mensagem, uma imagem, um fato, um conteúdo de entretenimento e/ou de informação. Comunicar-se nessa sociedade midiatizada (com muitas mídias), tem sido cada vez mais intenso e facilitado pelas ferramentas tecnológicas digitais.

Sabemos que em diferentes níveis e por distintas formas de comunicação a sociedade vem avançando e priorizando a conversação fluida das redes sociais digitais. São diferentes aplicativos de conversas (como o WhatsApp), de compartilhamento de imagens (como o Instagram), de interação (como o Twitter) que nos permitem integrarmos em novos grupos e interagir com as pessoas. Os sites de redes sociais, como, por exemplo, o Facebook, permitiram que as redes sociais ficassem mais interconectadas. Os sites de redes sociais são assim chamados, pois suportam uma rede social que é mediada por ferramentas tecnológicas (computadores, aplicativos, etc). Assim, eles permitem, novos “espaços públicos mediados”, são espaços nos quais podemos trocar interações, conhecer pessoas, conversar, etc.

REDES SOCIAIS NA INTERNET E MÍDIAS DIGITAIS:

UMA DIFERENÇA SUTIL E IMPORTANTE NA PRODUÇÃO DE CONTEÚDO

IMG_5568

As redes sociais agregam novas possibilidades de comunicação, informação e interação entre as pessoas, mediadas por tecnologias digitais (computadores, aplicativos, dispositivos), agregando novas conexões. Com isso, novas formas de produzir conteúdo e se comunicar são estabelecidas e experimentadas.

As mídias sociais também permitem curtidas, comentários e compartilhamentos, mas englobam um cenário mais amplo. O que chamamos de mídia social é um fenômeno emergente e tem início na forma como nós (usuários) nos apropriamos dos sites de rede social. Por isso, de forma simplificada toda rede social é também uma mídia social. Mas, uma rede social se caracteriza pela troca, interação, compartilhamento entre pessoas.

Uma mídia digital é um ambiente online  (digital) onde são compartilhados conteúdos, informações, como por exemplo, um blog, uma página no Facebook, um canal no YouTube. Portanto, o que irá definir uma mídia digital é a apropriação das práticas realizadas através de ações dos filtros, curadoria e criação de informações e conteúdo. E, é essa prática que é realizada por produtores de conteúdo e/ou profissionais da área da comunicação social, como os jornalistas. Por exemplo, o foco central do site do YouTube é o compartilhamento de conteúdo em vídeo. Sendo assim, é uma mídia social.

No curso de tecnologia em Produção multimídia os estudantes foram incentivados a criar um canal no YouTube e, essa diferenciação de conceitos foi essencial para a produção do conteúdo, como veremos a seguir. Da discussão de ideias à execução e definição do produto final, foram muitos desafios, conversas e novos conhecimentos sobre a mídia digital YouTube e suas ferramentas de produção de conteúdo. Entenda como foi o processo inicial dessa produção de conteúdo.

CRIATIVIDADE, PLANEJAMENTO E DEFINIÇÃO DO CONTEÚDO

Uma das metodologias utilizadas para a criação foi o Design Thinking que possibilita o planejamento e desenvolvimento de projetos estratégicos; é uma forma de se buscar soluções inovadoras para os problemas de design, contando com o trabalho colaborativo de equipes multidisciplinares, que analisam o problema de diferentes ângulos e perspectivas.

O Portal Sebrae apresenta as etapas do trabalho:

info design thinking

● A primeira etapa, a imersão, envolve conversas com o cliente e com todos os envolvidos no projeto. São realizadas pesquisas sobre a organização, os usuários e o contexto. Depois, os dados são analisados e sintetizados com a definição de estratégias.

 

● Já na etapa de ideação, ocorre a criação. Neste momento é importante que as ideias, mesmo as mais bobas, incoerentes ou absurdas, não sejam censuradas. O pensamento solto e as associações que surgem desta troca de ideias (mais livres) fazem parte do processo criativo e podem conduzir à soluções inovadoras. Este processo pode envolver várias pessoas (como designers, possíveis usuários e profissionais da área).

 

● Na etapa seguinte, são realizados protótipos para testes com os usuários. Nos testes podem ser usados questionários, observação do uso, entrevistas, entre outros.

 

● O desenvolvimento, que envolve a produção dos materiais e a implantação do projeto, não é considerado o fim do trabalho, já que as análises do uso e as possíveis melhorias devem ocorrer permanentemente.

No desenvolvimento dos canais para o YouTube, os estudantes fizeram uma pesquisa para a definição do tema, estudo de referências teóricas e de outras mídias sobre o assunto. Observaram as características do público, incluindo surdos e ouvintes e investigaram seus interesses. Depois, na etapa de ideação, utilizaram algumas técnicas para explorar a criatividade e multiplicar as ideias, criando o nome, a identidade visual e o conteúdo.

IMG_5597

O PRODUTO FINAL E OS DESAFIOS NA CONSTRUÇÃO DOS PROJETOS

Os estudantes contam como foi o processo de criação e os principais desafios enfrentados nessa produção de conteúdo para a mídia digital YouTube.

 SEXO ÁGIL: UM CANAL QUE ABORDA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA 

sexo_agil

A escolha do tema se deu em função do aumento expressivo das notícias sobre casos de violência doméstica que, em sua maioria, ocorrem em decorrência de relacionamentos abusivos. Por ser um tema de extrema relevância, é importante que seja divulgado em Libras. Assim, surgiram diversos questionamentos no grupo sobreo acesso e a acessibilidade às informações para as mulheres. Mas, para desenvolver o projeto, os estudantes relatam que não foi fácil encontrar informações confiáveis.

basteriscob

Tivemos dificuldades para encontrar informações 100% verídicas e pessoas que quisessem falar sobre um assunto tão pessoal. Então, nossas professoras, Janaína e Luciele, sugeriram entrevistarmos pessoas especializadas no assunto. E foi o que fizemos! Conversamos com a feminista Joanna Burigo (que é fundadora da Casa da Mãe Joanna e mestre em gênero, Mídia e Cultura) e com a Josiane, do coletivo Inclusivas.

basteriscob

Luísa Juskow

SUSTENTABILIPRÁTICO OU FAÇA VOCÊ MESMO

s2

Para escolher o tema do canal os integrantes do grupo usaram técnica de criação chamada brainstorming, que significa tempestade de ideias. A técnica consiste em reunir várias pessoas que podem contribuir com o projeto e, rapidamente, cada um rabisca o maior número de ideias possíveis. Depois, as ideias são selecionadas, agrupadas e são analisadas as vantagens e desvantagens de cada uma para a solução do problema.

Assim, a construção do trabalho foi realizada com muita conversa e ideias variadas para a definição do tema e a criação do canal Sustentabiliprático.

basterisco-preto

A gente fez o brainstorm na cartolina e na mesma noite criamos um grupo de WhatsApp onde ficamos debatendo sobre coisas em comum e que gostávamos. No início o canal não seria dobre “diy” (sigla para a expressão, em inglês “Do It Yourself, que significa “faça você mesmo” em português), seria sobre tatuagens, cuidados, significados, como achar um bom tatuador etc., mas no fim foi um consenso geral que o tema “diy” seria o melhor para ser trabalhado

basterisco-preto

Diana Andrade

Como nem tudo são acertos, o grupo enfrentou alguns desafios durante a realização do trabalho, Diana conta como eles fizeram para superar as dificuldades encontradas:

basterisco-preto

Durante o todo o processo a gente teve pequenos imprevistos que atrapalharam muito. Parte desses imprevistos eu acho que se deu pela nossa inexperiência de produzir conteúdo.

basterisco-preto

Diana Andrade

Mas, no final o resultado do canal Sustentabiliprático, ficou muito legal.

CINELIZANDO: CINEMA ACESSÍVEL

s3

A equipe estava muito unida pelo interesse em comum, desde o início, todos estavam de acordo sobre o tema: seria sobre cinema.

Eles também seguiram as orientações das professoras para que o trabalho fosse desenvolvido satisfatoriamente. Um dos desafios enfrentados pela equipe foi a correria e, no final, eles precisaram de uma ajuda extra para resolver os problemas, como conta a estudante Maria Eduarda:

basterisco-preto

Levamos um susto no dia da gravação pois o cartão de memória da câmera era de apenas 2G e não conseguimos gravar quase nada com ele.

basterisco-preto

Maria Eduarda Schneider

Mas, como tudo é mais fácil no trabalho com uma equipe integrada, no final eles conseguiram gravar utilizando um cartão emprestado.

MAZZAROPI CULT: A PAIXÃO PELO CINEMA

s4

O tema cinema também foi logo decidido pela equipe que desenvolveu o canal Mazzaropi Cult.

Louíse conta que parte do grupo abandonou o projeto por diferentes motivos, que tiveram dificuldades com a tradução para Libras e, no final, ainda tiveram que reduzir o roteiro para que o vídeo não ficasse longo e maçante.

basteriscob

Houveram mudanças no decorrer do processo do projeto pois o grupo acabou reduzido e tivemos que adaptar as tarefas de cada integrante.

Uma das maiores dificuldades do projeto foi a tradução em libras (a preparação da glosa e gravação da tradução não foram concluídas a tempo da data final de entrega).

basteriscob

Louise Teixeira

Mesmo com tantas dificuldades e contratempos, o grupo considera o resultado do projeto satisfatório e acredita que, a partir desta aprendizagem, o canal pode melhorar.

A IMPORTÂNCIA DA PRODUÇÃO DE CONTEÚDO: ORGANIZAÇÃO,
PLANEJAMENTO E QUALIDADE

Como podemos observar a produção de conteúdo não depende só de uma boa ideia, interações e conversações, mas, essencialmente do conhecimento e da aplicação das estratégias, técnicas e ferramentas. Também, foi possível perceber a importância do planejamento. Um pequeno imprevisto pode se tornar um grande problema e bagunçar a organização. Planejar não significa prever tudo, porém é preciso considerar que imprevistos ocorrem. Organizar a produção, testar os equipamentos, se antecipar aos problemas pode fazer toda diferença.
Estamos em um momento de convergência midiática, isto é, um momento onde as velhas e as novas mídias estão integradas, formando multimídias, logo potencializando linguagens e novos formatos de comunicação social. Explorar adequadamente as ferramentas digitais têm grande influência nestas produções. Além disso, usar a criatividade para desenvolver o trabalho é de suma importância.
Existem técnicas que contribuem para isso. Explore e busque sempre o conhecimento para aprimorar seus conteúdos nas mídias digitais.

Os trabalhos foram desenvolvidos com orientação das professoras Janaína Ramos e Luciele Copetti.

rodape